Teste de Imuno-Histoquímica para ALK

O teste de imuno-histoquímica (IHQ) para o biomarcador ALK é indicado como um estudo clínico diferenciado para auxiliar a detecção de linfoma anaplásico de grandes células (ALCL), dentro do contexto avaliado por um patologista qualificado.

Dessa maneira, verifica translocações específicas no gene da quinase de linfoma anaplásico, no cromossomo 2. O exame imuno-histoquímico para ALK é frequentemente utilizado para detectar adenocarcinoma de pulmão e variantes, como o câncer de pulmão de células não pequenas (85% dos casos).

O teste para ALK permite que o médico patologista possa se beneficiar dos resultados para que oriente o tratamento com uma terapia medicamentosa mais direcionada.

 

Análise do gene ALK

O ALK é uma proteína de fusão detectável através de microscopia óptica. O estudo de imuno-histoquímica para o ALK é realizado com a presença de antígenos no tecido impregnado em parafina e fixado no formal.

A detecção de rearranjo do gene ALK caracteriza um grupo com alta responsividade para inibidores da proteína ALK. Isso ocorre principalmente em doentes mais jovens, doentes não fumantes ou ex-fumantes de baixa carga tabágica. Essa classificação histopatológica tornou-se essencial para uma exata seleção dos grupos de doentes na área da pneumologia oncológica.

Mutações do ALK detectáveis pelo exame imuno-histoquímico também ajudam a indicar casos raros de neuroblastoma familiar. Dessa forma, torna-se um estudo complementar importante para a detecção de patologias do sistema nervoso central.

O IHQ mostra-se como um método bastante eficaz para a verificação de potencialidades do ALK na peça histológica, uma vez que analisa simultaneamente a arquitetura tecidual e a composição das células tumorais.

 

Rearranjos com ALK

Fusões com proteínas químicas, como a EML4-ALK, demonstram um papel-chave no controle da proliferação de células tumorais, especialmente para a atividade antitumoral de drogas como o crizotinibe.  O teste imuno-histoquímica marca tumores ALK positivos resistentes ao medicamento, sendo essencial para a avaliação da resposta terapêutica.

Assim, a detecção de um rearranjo de ALK pelo IHQ é fundamental para beneficiar tratamentos com inibidores do gene ALK. Dentro do contexto do processo de qualidade do teste de imuno-histoquímica para ALK, a escolha dos marcadores por profissionais qualificados traz um diagnóstico mais preciso e contribui para o estudo do médico patologista.

 

REFERÊNCIA

Sullivan I, Planchard D. ALK inhibitors in non-small cell lung cancer: the latest evidence and developments. Ther Adv Med Oncol 2016;8:32-47. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4699265/>. Acesso em: 24/04/2018

 

 

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer participar?
Deixe um comentário!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *